sábado, 4 de fevereiro de 2012

Amplidões...


Deixa-se escorrer nas frestas, pelas beiradas; nas amplidões, elas sempre nos mostram algum poema colorido, um laço-de-fita desembrulhado; onde suas reticências são apenas as demarcações de todo seu infinito.

(Fernanda F. Fraga)


6 comentários:

Alê disse...

Fer: mais uma vez, belíssimo!

Samara Bassi disse...

deixei o meu vão se preencher de tanto espaço e de tanto abraço que ficou no (a)guardar qualquer semente pra reflorescer, que meu presente é um futuro num embrulho que dure um milenar seguir na maré, desprendendo um sossego e aconchego ampliado num segundo de cor e sorte.

Te gosto muito.
Meu carinho,
Sam.

Rafaelle Melo. disse...

Infinito: nossa vocação por hora delimitada pelo corpo, lembrada pela alma.

Beijo, Fê!

Luana Barcelos Dantas disse...

Amplidão é infinito...
Bjos
Luana Barcelos Dantas

Wanderly Frota disse...

Graças por esses poemas!
Lindeza de lugar, fiquei *-*

Carol Righetto disse...

Infinitamente lindo!!