domingo, 31 de outubro de 2010

(...)"Porque já cansou de ser presença esquecida, ignorada"(...).


Ela deseja ardentemente ser ausência agora, pode ser uma ausência qualquer. Nesse rosto desenhado de ternuras e finitudes. Nessa voz serena e cheia de verborragias. Carrega em si uma agonia tão desmedida. Um nó na garganta. Um amor recolhido, onde ele a reprimi para não dizer a verdade dela. É uma fuga, um desassossego, é tecer linhas de novelo no escuro. 

Ela já não compreende mais essas provocações e de ser apenas convidada para fazer parte das alegrias dele. Ora por ele lhe procurar para dizer que está com saudade da outra, ou ora por ele está feliz por ter passado o fim de semana com ela. Procurando-a só pra esses desabafos.

Ecoando canções de um verão qualquer, espera-se que teu semblante retorne a ser um pedaço do céu, e seja terno para embalar suas noites e brilhar junto às estrelas do alto daquela pedra.

A moça-menina, menina-moça-mulher está em busca de seu amor-próprio.

Porque já cansou de ser presença esquecida, ignorada. E mirar-se aos teus braços sem medo e com desejo só pra ser presença em um dia, não; definitivamente não. Quero ser um verso qualquer sim; mas um verso para toda uma vida.

(Por Fernanda F. Fraga)

PS.: Inspirado na prosa poética da poetisa Priscila Rôde "Ela precisa ser ausência com lágrimas": http://priscilarode.blogspot.com/2010/10/ela-precisa-ser-ausencia-com-lagrimas.html


Escrevi esse texto ao som de Papas da Língua música linda "Vem prá Cá":


____________________________________________________

17 comentários:

Alexandre Fernandes disse...

Que lindo Fé! Este texto delineia de forma soberba a doçura que é a paixão de um coração e pelo que ele é preciso suportar.

Cada cantinho da alma abriga essa louca vontade de sobressair, do sentimento ecoar, do amor lhe abraçar. Porque realmente não dá suportar o desassossego da ausência, do fato de ser esquecido(a).

"Quero ser um verso qualquer sim; mas um verso para toda uma vida."

É fascinante essa maneira doce de você caminhar pelos sentimentos mais puros e ternos. Essa frase denota toda a verdade que existe na vontade de amar, de ser amado, da felicidade estando do lado.

Que sejamos versos, mas versos de uma vida inteira.

Que texto sublime!!

Beijos querida.
Bom feriado e boa semana!

Gislaine Fernandes disse...

Nossa que post lindo...adorei...
beijos

Priscila Rôde disse...

Às vezes, o amor que sentimos pelo outro é tão, mas tão grandioso, que o nosso, o próprio, se esconde. O coração tem o livre arbítrio de amar quem ele quiser desde quando esse quem, possa nos amar também. Se não cabe mais ao coração, vamos retirar da mente. Temos força pra isso. Só precisamos de um querer mais forte que a gente.

“Apenas seguir em frente. Primeiro, porque nenhum amor dever ser mendigado. Segundo, porque todo amor deve ser recíproco.”

(Cah Morandi)

E porque você, merece o melhor dessa vida!

Anônimo disse...

Doce menina,
Me fascina cada vez venho aqui.
É um ambiente poético mesmo. Cheio de sensibilidade feminina.
Me deixaste com os olhos emudecidos nessa parte:
"espera-se que teu semblante retorne a ser um pedaço do céu, e seja terno para embalar suas noites e brilhar junto às estrelas do alto daquela pedra".
Que sensibilidade e delicadeza aqui nesse trecho: "a menina-moça, menina-moça-mulher", meu Deus!

Estou por aqui, sempre.

;*

rívea duarte disse...

"... Porque já cansou de ser presença esquecida, ignorada." Cansei também!

Fernanda,

tudo aquilo é poesia, suas imagens são de uma doçura que só! Estarei sempre por aqui! Obrigada por me seguir!

Bom comecinho de semana.
Um beijo,

,)

Giovanna disse...

eu poderia ter escrito essas mesmas palavras agora, admito que preciso reencontrar meu amor, aquele que quando crianças não nos preocupamos em perder. Espero logo ser mais para alguém, que esse alguém sinta falta. Coomo eu sinto.

Solange disse...

putz... que lindo texto... e a gente cansa mesmo de ser sombra na alegria do outro...

amei.
tocou meu coração.

beijo enorme

Confissões de uma borboleta disse...

Ahhh os amores impossíveis.
Reprimidos e ansiados em silêncio.
Eu bem sei o que é isso.
Beijos

Ju Fuzetto disse...

E quanto aos versos, embalados na poeira da ausência. Tornam-se peças de alegria de um poema teu.

E me fazes chorar linda Fê!!

Mariane disse...

Simplesmente encantada com o blog!!!

Beeijooos... :*

Marinha disse...

Lindooooo!!!
Não resisti ao blog, sigo-te!
Bj

Gisele Braga disse...

Oi Fernanda!
Como está flor?
Que post lindo!
Como a senhorita
escreve bem, hein!rs

Quando amamos
muito alguém,por querer estar
com ela, esquecemos
de nós mesmos, do que gostaríamos
e deveríamos receber
mas acabamos abrindo mão.
É muito triste, mas nos cabe
superar!
Parabéns pelo post!

Bjs =)

Mariane disse...

Fer...

Adorei ter você no meu twitter e conhecer seu cantinho! Já sou uma seguidora e linkei sei blog lá no Varal de Esperanças!

Deixo sorrisos e levo o encantamento das suas palavras! Que o Amor possa ser a essência dos seus passos, hoje e sempre!

Beeijoos...

Anônimo disse...

Maravilhoso texto, Fê! Infelizmente, às vezes amamos tanto o outro que esquecemos do amor mais importante, que é o nosso amor próprio! O texto transmite uma doçura que deixa até este esquecimento do amor próprio parecer belo... :) :** Lhine

Cáh Morandi disse...

Fé, é lindo! Adorei.

Guilherme disse...

Olá menina!!! Tudo bem com você? Vi que você me encontrou no twitter e que boa surpresa! Sou observador silencioso das tuas palavras. Vez ou outra visito teu cantinho e bebo um pouco da tua poesia! Passo a lhe seguir no twitter e a continuar lhe achando naquele pedaço teu! :)
Um beijo..

Daniel Savio disse...

Todos cansam de ser presença ignorada...

Fique com Deus, menina Fé Braga.
Um abraço.