sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Chegadas...


Obra de Vincent Van Gogh Starry Night (1889)

Solto nascentes nos meus dedos. Rio que esfarela a chuviscar na pele, na íris do teu olhar. Devora as labaredas das palavras, veste sinfonias quando o Sol rastrear em ti os sonhos. Azul perfumando Estrelas, fruto descontido em nós: multiplicais-vos. Sereneia a imensidão das Árias, nas próprias mãos - veste-se inteira. Desvincilha a bússola. Religue solene o Infinito, o sopro: o aconchego. Enquanto o verso chega, enquanto te encontro.
(Fernanda Fraga, 07/07/2013)
              

2 comentários:

Wendel Valadares disse...

Sensível e terno.

Lindo.

Um beijo Fêfê!!!

Danilo MM disse...

Enquanto alimenta o desabrochar.