domingo, 28 de novembro de 2010

Partituras suas beijando nuvens coloridas e centelhas minhas soltas aí em seu peito.


“Minha alma é uma orquestra oculta; não sei em que instrumentos tange e range, (...) dentro de mim. Só me conheço como sinfonia” (Fernando Pessoa).

 

Pedaços de cristais soltavam pelas labaredas. Fluida música orvalhada. Lá, bem lá no meu céu dos jardins aqui exaltados. Montanhas, arbustos e toda uma sinfonia de notas, de partituras imaginárias. Eram águas de um oceano inavegável. Fascinante. Turbulento. Sons, notas de ventura e contentamento. Viam finas gotas de chuva para receber com frescor aquela tarde de Sonatinas. Uma silente completude de flor pura.

Ela ficava marcando aqueles compassos com seus trejeitos, com sua delicadeza, com o corpo todo. Ouvia sons musicais, harpas, cordas vibrantes, sons de violinos. Eles arpejavam e sussurravam colcheias, semicolcheias ao pé do seu ouvido.

Uma orquestra que visitava seus sentidos, seus afetos, seus poros, suas hemácias. Talvez fosse o canto de anjos, cânticos de pureza. E cada detalhe de sua alma era preenchido por essas partituras. Saltitavam em seus tímpanos uma verdadeira sinfonia de fluxos, lágrimas e nostalgias. 

Era uma fenda que o Alto se abria para compor aqueles dias tristonhos que ela parecera está. O Alto se encarregava, os anjos encarregavam de nutri-la, de regê-la com suas pequenas mãos, eram uma redoma que se fazia ali, em cada encontro, naquela Peça musical que era ouvida por ela. 

Foi um trunfo, nunca antes experimentado. Em poucos instantes sua alma era persuadida por um minúsculo espaço seu aqui incinerando o peito. Agudeza de sons. Uma fenda aberta que se propagava naquelas gotas minhas ali impregnadas de claves, bemóis, sustenidos. Partituras suas beijando nuvens coloridas e centelhas minhas soltas aí em seu peito. 

(Por Fernanda F. Fraga)  

  OBS:  Desculpem minha ausência quase um mês sem postar nada aqui, estava seca de palavras, de inspiração. E confesso que o texto sem eu perceber foi inspirado em sons de violino, pois fiquei e estou há uma semana ouvindo nitidamente sons de vários de violinos, violoncelos ao pé do ouvido mesmo. Não é a todo tempo, são sons que ficam cerca de segundos e passa, em relance. Como diz uma amiga minha esses dias no celular:  "pode mandar te internar", kkkkkk... Mas em contrapartida outra amiga me disse: "seu caso não é de enternar não  Fé, é  só Amor". Prefiro essa opção, kkkkk... Ouçam e vejam o link de uma música de Coldplay que amo: Viva La Vida http://www.youtube.com/watch?v=UTU1csGJ4lI


6 comentários:

Uni ver sos disse...

Fê querida!! Que coisa mais divina esse seu texto poético... Fiquei emocionada sinceramente, que fonte inesgotável jorra desse coração hem menina!! Saudades de vc e de ler essas coisas lindas que escreves..


Gostaria de convidar vc para participar do nosso 2º Amigo Oculto de Natal, as inscrições estão abertas para quem quiser participar, será uma linda festa de confraternização virtual. Para saber mais detalhes e se inscrever passe no meu blog.

Abraços e obrigada!!

Ξ ѕ t є я

Erica Ferro disse...

Lindo!
Que escrita mais envolvente, mais doce, mais MUSICAL!

É tão bom, tão lindo sentir a música. Ser invadido por ela, sentir toda a sua plenitude. Saber que ela marca nossas vidas, nossas fases. E cada um som, cada acorde nos causa uma sensação, um sentimento, uma recordação.

Sem palavras. Amei seu texto!

Você escreve lindamente!

fatoSempalavras disse...

ouvia-se todos os sons cabíveis qnd o coração pede(?) - ele não pede, é mau educado e sai amando.

os teus versos me fazem te ver forma ainda mais branda.se um dia eu deixasse de acreditar no amor, logo voltaria a crer,era só lembrar - mais ainda - de você!

Confissões de uma borboleta disse...

Que bom que você voltou.
Seu textos são sempre inspiradores.
Beijos

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá querida, vim deixar um abraço e conhecer seu espaço.

...VEM DE DENTRO UMA FORÇA MAIOR
CRIANDO POSSIBILIDADES NAS IMPOSSIBILIDADES
NOS LEVANDO A VOAR NOS SONHOS
FLUTUAR NAS INCERTEZAS
ULTRAPASSAR LIMITES
IR ALÉM,
NOS LUGARES ANTES NUNCA IMAGINADOS
ROMPENDO AS CADEIAS.
QUEBRANDO OS GRILHÕES
SENDO VITORIOSO
REALIZANDO SONHOS

Cris de Souza disse...

realmente, de violar o peito...

ô mocinha que escreve bonito!