sábado, 25 de setembro de 2010

...“É o Fruto que se reveste de seus Silêncios e de suas Floradas”.




Já se despedem os últimos sinos do inverno. Os dias curtos, o frio intenso, o sol adormecendo mais cedo: o recolhimento. Pois aquele manto Santificado se preparava para dar lugar aos frutos novos. Mas os ventos aqui continuam a peregrinar, a trazer silêncios sussurrantes, mas carregados de Árias, orquestrando uma música descompassada e inebriante. 

Afinal, ela não sabia mais o que fazer com aqueles silêncios, sem aqueles atropelos insondáveis. Era notório que seu ofício no momento era florescer e florescer de Amor. Alinhavar todas as cores, todos os tons, as dores, todas as pétalas secas, pois já é Primavera. Mas em seu íntimo é difícil florescer em meio a tantas perdas, a esses alardes que o amor nos dá. Sim. É difícil o des(amar).

Parece-me que entre essas cirandas esperançosas e que “arar” a terra do seu coração seja um processo tão exaustivo quanto à Finitude do amar, dos Cânticos ao seu Amor. Mas ela sabe que precisa se reerguer, se desprender dessas dores e se revestir de outras grandezas. Para que o outro possa lhe ofertar mudas em seu pequeno-grande Jardim. 

Talvez ela queira sem perceber continuar nesse desvelo de sentimentos não correspondidos e não tenha forças suficientes de deixar o barco de a vida andar ao seu curso. Pois esses triunfos de enamorar-se, podem desfalecer sua tenra juventude. Uma vez que essas Estações arrancam também uma infinidade de sentimentos saudosos. Este é o fruto que se reveste de seus silêncios e de suas Floradas. 

Sim, ela passou pela dor.  Ela se prendeu tão inteiramente àqueles Outonos embalados de sombras de Inverno. Hoje seu suspiro é dissonante, mas queima em sua alma como fogo: Do Amor e do Florescimento.  

(Por Fernanda F.Fraga).


 

11 comentários:

Uni ver sos disse...

Fe, minha doce amiga!

Que lindo florecimento encontro em suas palavras!
Um vento de sentimentos bons inundou-me nessa leitura,
vou levando um pouco de sua essencia e o perfume dessa florada que é pura magia!

Muitos beijinhos.~

Malu disse...

Oi , FE !

Que lindo texto , quanta sensibilidade , amiga .
Saio encantada ...

BjO e um Domingo cheio de Luz.

Confissões de uma borboleta disse...

Olá Fernanda...
Quantas verdades em tão breve texto. Como é dificl desamar...e amar-se então? Para que insistir no caminho sem retorno...
A trilha é certa.
Então ame-se.
O que também é dificil.
Os seres humanos desempenham muito bem os papeis de algozes.
Beijos

Sil.. disse...

Fe

E eu tbm me sinto florescer a cada dia!

Muitas flores pra você, minha queridaaaaaa!

Aline disse...

Fernanda! que doçura de texto!

e o título então? combinou muito bem... me encantei.

beijos querida

FatoSempalavras. disse...

Anjo lindo, ame cada vez mais. Sinta e faça com que a sua vida seja ainda mais bonita, melhor!

Eu admiro tanto este lindo ser que só vc sabe ser!

eu ouvindo : Canção pra você viver mais, na hora em que vim aqui.

S2

Guilherme Fraga disse...

Fêh, fico encantado com tuas palavras, sua sensibilidade.

Belo texto.
Obrigado pela visita.

Beijão.

Malu disse...

Oi , Fé !!!


Que bom receber sua visita , amiga querida ...

Aqui também é um cantinho que adoro vir . Tem sempre cheirinho de Paz e Amor .

Bjo Grande e uma Noite Iluminada.

Malu disse...

Fé , minha linda !


Tem Selinho pra você no me blog.
Espero que goste ...


BjO.

Cris de Souza disse...

A essência dessa folhagem inebriou-me.

Que belezura!

ErikaH Azzevedo disse...

E a vida lhe dizia...No inverno, nao te preocupes que primaverás o sol nascer.
É época de flores sim minha linda...deixa-te florescer.

Bjoooooo

Erikah